Distopia Brasil é o nome do espetáculo imersivo dirigido por Pedro Granato.

A peça apresenta um futuro distópico baseado nos problemas sociopolíticos atuais do país. O espectador é levado para participar do evento de aniversário da Quarentena, regime controlado pela principal Teocracia instalada no Brasil do futuro, para combater principalmente a Resistência Laica ativa ainda no país.

As boas vindas calorosas logo na entrada por uma anfitriã angelical e a verificação dura e breve feita por seguranças ríspidos e armados indicam os principais elementos da Família Social, o grupo ali presente em busca da unificação nacional para alcançar a “luz” e a erradicação da Resistência Laica. Os espectadores passam por diversos rituais ao longo do espetáculo, que são familiares e muito próximos do universo religioso cristão atual. Além disso, o ambiente emana uma constante ameaça e cumprimento de regras pré estabelecidas seguidas à risca, que fazem com que os espectadores fiquem sempre alertas e contidos.

distopia brasil - duas mulheres conversando

Ao longo da trama de Distopia Brasil, as retaliações e punições aos que mentem, omitem ou tenham qualquer atitude fora da curva vão se intensificando. A Família Social reitera que tudo vê e tudo sabe, removendo a individualidade e livre arbítrio de todos os seus membros gradativamente.

Uma experiência psicológica e sensorial

O espetáculo nos dá base para imaginarmos o que pode acontecer caso alguns discursos políticos e sociais intolerantes se intensifiquem, mas ao mesmo tempo mostra que a resistência será sempre presente. A peça aborda ao longo da trama o machismo, o racismo e a homofobia. A narrativa lembra as principais distopias do mundo literário, como Admirável Mundo Novo e 1984, mas inova na imersão dos espectadores, se tornando também uma experiência psicológica e sensorial.

distopia brasil - mulher sendo arrastada
Divulgação / Pedro de Holanda

A exibição de Distopia Brasil acontece no Centro Cultural de São Paulo, nas sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h. Sua última exibição é no domingo, dia 21/abril. A entrada é gratuita.

Show Full Content

About Author View Posts

B. Lima
B. Lima

Natural de Osasco (SP), Bruna Lima tem 22 anos e é formada em Produção Audiovisual. Além do cinema, também dedica seu tempo à escrita, fotografia e estudos no campo da história da arte. É redatora voluntária nos sites Queer as Geek e Politize e tem como missão abordar a representatividade e suas vertentes em suas produções, roteiros e artigos.

Previous Vingadores Ultimato: 6 jogos para entrar no trenzinho do hype
Next Biscoitando: Os 6 caras mais gostosos de Mortal Kombat 11
Close

NEXT STORY

Close

Kelly Clarkson lança duas músicas do seu novo álbum

7 de setembro de 2017
Close