“É no caos que minha mente se esvazia e meus pensamentos se encontram.”

 

Após seu primeiro livro, Traços, Eduardo Cilto lança Submerso, o seu mais novo romance. Autor brasileiro nascido em Santo André/SP, Eduardo criou em 2012 o Perdido nos Livros, um canal no YouTube que aborda assuntos sobre livros e cultura pop.

 

Livro Submerso. Eduardo Cilto — Editora Outro Planeta.

SINOPSE

“ELETRIZANTE. EMOCIONAL. O RETRATO DE UMA GERAÇÃO. Aos dezessete anos, Dimitri não é mais capaz de enxergar a si mesmo quando encara o próprio reflexo no espelho. Dividindo seu tempo entre o colégio e um emprego na última locadora de filmes da cidade, ele vê sua realidade colidir quando um simples encontro com os amigos acaba sendo gatilho para uma de suas maiores crises. Lutando contra a nova vida e consigo mesmo, Dimitri é obrigado a passar o resto do ano em um acampamento para jovens desajustados que promete colocá-lo de volta aos eixos. Porém, um lugar que abriga tantos desajustados pode não ser tão perfeito quanto todos pensam, o que antes parecia ser a solução dos problemas, acaba se tornando apenas o começo de um dos maiores deles.”

 

Publicado em 11 de abril de 2018, pela editora Outro Planeta, Submerso nos traz a delicada história de Dimitri. Ele é um adolescente de 17 anos que, após a morte de sua mãe, colide com um enorme vazio e tristeza. Dimitri mora com seu pai em São Paulo. Estuda, trabalha e sai com os amigos de vez em quando como qualquer adolescente. No entanto, seus conflitos pessoais geram crises que o leva a ações drásticas como cortar os próprios pulsos. Não aguentando mais a situação e sentindo-se um problema para seu pai que o ama tanto, Dimitri decide passar um tempo em um acampamento Misfit, um lugar para “jovens problemáticos” afim de tentar resolver seus problemas. Deixando tudo para trás, Dimitri abre mão de seus aparelhos de comunicação, os amigos Clarissa e Bernardo e seu pai, para o desconhecido.

Nesse acampamento ele conhece o sistema rígido que sustenta a administração do lugar. Se opor aos profissionais, burlar o toque de recolhimento, comunicar-se com o mundo de fora e até questionar os métodos adotados pelo acampamento são proibidos com risco a punição. Apesar de estar em um lugar afastado de tudo e com regras severas, Demo (Dimitri) tem acesso a educação, acompanhamento médico e algumas distrações como aulas de natação e cuidados com as instalações do Misfit. Com o passar do tempo Demo faz alguns amigos, Alma e Henrique, criando fortes laços entre eles. O clímax da história se inicia com uma misteriosa mensagem escrita deixada nas paredes do acampamento, um gatilho que gera dúvidas sobre o acampamento e sua história para os campistas, que se veem confusos com toda a situação, resultando em um mistério para descobrir o que odasionou naquela ação.

Com tudo o que já estava acontecendo com Dimitri, aquela história somou mais uma incógnita em sua cabeça, o fazendo buscar mais informações sobre aquele lugar misterioso no meio do nada, acarretando em grandes conflitos, revelações e um romance marcante em sua vida.

Apesar de não se aprofundar muito nos personagens secundários, Submerso aborda assuntos difíceis de serem trabalhados atravéz de Dimitri, como a tristeza, depressão e sexualidade. Tratando com muito carinho a narrativa, Eduardo já declarou a semelhança de Dimitri com sua própria história, um dos motivos que o fez escrever o livro. Os detalhes são tratados com muita sensibilidade e de um jeito leve e caloroso para o leitor, além das diversas citações musicais realizadas em cada capitulo. Com a história de Dimitri, é possível que muitas pessoas se vejam por ele, pelo dia a dia e seus conflitos internos.

Show Full Content
Previous Cyberpunk 2077: Veja os primeiros minutos da gameplay
Next RESENHA: BLOOM (2018) Troye Sivan
Close

NEXT STORY

Close

Kirby completa 25 anos

23 de agosto de 2017
Close