A dez anos atrás, o universo cinematográfico da Marvel teve inicio com o filme Homem de Ferro (2008). A partir de então, cada passo dado nos demais filmes levaram a Guerra Infinita, o terceiro filme dos vingadores. É fato que todo caminho percorrido tem seus altos e baixos, mas novíssimo filme atinge as expectativas.

Guerra Infinita

A GUERRA INFINITA

O terceiro ato do supergrupo, composto pelos maiores heróis da Terra, é sem duvidas uma montanha russa. O roteiro tem o cuidado de amarrar as pontas desses dez anos enquanto constroem a imagem do titã louco. Desde os primeiros minutos o tom de urgência é estabelecido na trama. E em uma escalada onde a comedia e o drama se equilibram, a esperança de um final feliz nos é retirada ao longo da película. Os Irmãos Russo, responsáveis pela direção, assumem riscos em trabalhar um elenco gigantesco em 2 horas e meia. Ainda sim, cada personagem tem seu momento e nada parece corrido ou jogado.

THANOS

Guerra Infinita

Guerra Infinita é sem duvidas o filme de Thanos (Josh Brolin). Desde os minutos inicias é estabelecido o status quo do vilão. E se nos quadrinhos o Titã é apaixonado pela morte, e por ela faz todo tipo de atrocidades, aqui ele é, por assim dizer, uma vitima das circunstancias. Toda a construção da persona dessa criatura, que tem por objetivo dizimar metade do universo, é cuidadosamente pensada. E se sua personalidade é complexa e construída de forma cuidadosa, os seus poderes parecem o tornar um oponente invencível. Thanos é implacável em sua busca pelas jóias do infinito. A Ordem Negra também é interessante, ainda que brilhe menos do que poderia. Os seguidores do antagonista dos Vingadores não agregam muito a trama a não ser nas cenas de combate, visto que os poderes, principalmente do Fauce de Ébano, são bem trabalhados. Do começo ao fim, Thanos é construído como um inimigo implacável, com um objetivo maior em foco.

 ALTOS E BAIXOS

Como tudo no Universo Expandido, nada é perfeito, e Guerra Infinita tem seus momentos que podem causar algum descontentamento. O já famoso humor presente nos filmes do estúdio pode atrair certos olhares tortos. O modo como a história é conduzida, com tantos personagens e tantos conflitos a serem resolvidos, pode vir a ser um ponto que cause uma resposta negativa daqueles que acham que menos é mais. Entretanto, mesmo na imperfeição o trabalho realizado é de muita consistência. Até aqui foram 18 filmes que trilharam o caminho para o conflito com o grande nêmesis dos Vingadores. Conseguir, filme após filme, trilhar um caminho satisfatório até um evento desse porte, é pra poucos.

Na realidade, assumir seu bom humor e leveza não é um defeito, principalmente quando se tem seus momentos de profundidade. Guerra Infinita é sem duvida uma experiencia que coapta tudo que já foi feito e trás consigo a porta aberta para a conclusão da fase 3 do Universo Cinematográfico da Marvel.

Vingadores: Guerra Infinita está em cartaz em todos os cinemas do país. Confira!

Show Full Content
Previous Westworld: 5 Perguntas criadas na estréia da 2ª Temporada [spoiler]
Next Crítica – Velma, feminismo e memes
Close

NEXT STORY

Close

Crítica: Desafie os limites da física em Teslagrad

13 de janeiro de 2018
Close