Entre os dias 3 e 8 de abril o Rio de Janeiro recebeu a nova edição do Rio Content Market, agora intitulado Rio Creative Conference. Cobrimos o evento, e aqui estão as principais tendências vistas no maior evento para criadores de audiovisual do Brasil.

O que é o Rio2C ?

Logo do evento na parede da Cidade das Artes no RJ

Numa primeira olhada o Rio2C pode até parecer uma Comic-Con qualquer. Com estandes de diversos canais espalhados pelo local do evento e, no primeiro dia, até mesmo a presença de literais aias (do seriado The Handmaid’s Tale) andando em pares pelos corredores.

Porém, num olhar mais atento logo dá para perceber que é diferente. O palco deixa de lado atores famosos e vídeos inéditos de coisas nerds, e cede lugar para roteiristas, diretores e produtores. A plateia também é diferente: Os fãs calorosos são trocados por outros produtores e diversos membros da indústria, procurando novas formas de executar o seu trabalho, e novas tendências para explorar futuramente.

Além dos painéis, temos a presença de várias reuniões de negócios. São nesses eventos que novas séries conseguem canais para que um dia saiam do papel. Lá onde muitos anos de suor de escritores independentes – ou nem tanto – culminam numa compra ou não do que pode vir a ser a próxima grande série brasileira.

Basicamente, é um evento focado no fazer da indústria audiovisual, e não necessariamente no que chega aos fãs. De produtores para produtores, o Rio2C foca na parte business do termo show business.

Maior Escala

Painel da Netflix sobre produções latino-americanas

Esse ano o evento aumentou. O que antes era só audiovisual agora também inclui música e inovação. Os moldes são os mesmos: palestras e encontros de negócios ocorreram por todo o lado.

O resultado dessa empreitada foi misto. Por um lado, é muito bom que essas novas áreas foram incluídas, aumentando assim a variedade das pessoas ali presentes e dos temas dos painéis.

Por outro, um foco maior no aspecto diversão do evento acabou se provando um tiro pela culatra. Um palco foi montado no meio da área mais movimentada da Cidade das Artes do Rio de Janeiro e os shows que lá aconteciam dificultavam muito a comunicação na maior parte do lugar. Ficava muito difícil encontrar um lugar calmo para conhecer pessoas de uma maneira mais informal.

VR e AR

HTC Vive

Muitos dos painéis de inovação foram dedicados à essa nova e promissora tecnologia. Por ser tão recente ainda é difícil falar no que tudo isso vai dar, mas os panelistas pareciam animados com as novas possibilidades.

Além de muitas conversas sobre o que seria uma narrativa em realidade virtual ou aumentada, e de onde esses aparelhos podiam nos levar, ainda tinham vários demos pelo evento, que variavam, desde videogames conhecidos no PSVR, até experiências menores de maior teor social, como uma simulação de esportes em cadeiras de rodas.

Uma Publicidade Melhor

O Rio2C é acima de tudo um evento para negócios, então é natural que muito foco seja dado às marcas e novas formas de publicidade.

A palavra de ordem era Branded Content e sua eventual mudança para o Brand Publishing. Branded Content são conteúdos patrocinados por marcas, não necessariamente comerciais, mas vídeos que podem ter sua narrativa própria, um curta ou um documentário que traz maior sutileza na hora de promover o produto.

Já o Brand Publishing é a evolução natural disso, quando a marca passa a focar totalmente no entretenimento, virando assim um tipo de produtora de conteúdo do nosso interesse, que por um acaso do destino vem acoplado de um produto ou marca.

Resumindo, os publicitários sabem que os consumidores não respondem bem a propagandas clássicas, e procuram novas formas de chegar neles. Aqui entra o Youtube e os influenciadores digitais. As marcas já sacaram o poder de influência que essas pessoas tem e não mostram hesitação alguma em usar isso ao seu favor.

Exportação de Séries Brasileiras

3% – Série Brasileira Original Netflix

Pode ser devagar, mas o mundo está se cansando de assistir exclusivamente as séries americanas. Conteúdo de diferentes línguas estão cada vez mais tendo atenção mundial. Sucessos como La Casa de Papel, Dark e 3% são apenas a ponta do iceberg.

O mercado parece muito promissor para criadores de séries nacionais. As produtoras brasileiras estão investindo muita energia nessa área e o mundo está voraz por mais conteúdo diverso. Os tempos de “a televisão falar só inglês” estão acabando e a indústria percebe isso.

Representatividade Feminina

The Handmaid’s Tale – Série Original Hulu, exibida no brasil pelo canal Paramount

Dois dos painéis mais importantes do evento foram a palestra com Bruce Miller, showrunner da premiada série The Handmaid’s Tale, e o bate-papo sobre direção de cinema, apenas com grandes nomes femininos do cinema nacional.

Outras várias mulheres estavam presentes em diversos painéis contando suas histórias em lugares de honra, como representantes do que há de melhor no cinema e na televisão.

É lindo e revigorante ver que movimentos como Time’s Up surtiram verdadeiro efeito na indústria. O mundo está atento para as dificuldades das mulheres, e com vontade de ver que histórias elas podem trazer quando tem liberdade.

Esse foi o resumo de algumas tendências do Rio2C que aconteceu esse ano. Claro que o mundo pode acabar indo numa direção muito diferente de tudo isso que foi dito, mas o futuro para a indústria do entretenimento parece mais promissor do que nunca.

Show Full Content
Previous Crítica: A Pequena Sereia – O Musical
Next Persona e Lady Layton: Jogos marcam presença nessa temporada de animes
Close

NEXT STORY

Close

MasterChef e as discussões que Paola Carosella trouxe para a cozinha

5 de setembro de 2017
Close