Quem perdeu a febre de jogos de aventura nos anos 80 pode ter um gostinho do gênero com jogos aclamados como Life is Strange e em uma menor escala os jogos da Telltale Games. Mas para quem quer vivenciar a verdadeira experiência dos jogos de aventuras com gráficos pixelados e umas histórias bem loucas, a Steam tá enchendo de jogos que prometem entregar exatamente isto. Um destes jogos é I Fell from Grace, que apesar de trazer um ritmo sofrível, entrega uma história misteriosa e intrigante.

Anjos em Grace
O jogo flerta com o sobrenatural de uma maneira misteriosa

“Eu caí da graça”

Jogos de aventura normalmente tem uma história bem diferente do que costumamos ver em videogames e I Fell from Grace também não foge disso. Aqui você conhece a história de Henry que vive em função de sua esposa Grace. Grace sofre de uma doença incurável e eventos estranhos acabam acontecendo na sua busca por uma cura. Uma premissa bastante interessante até e que dá margem para explorar uma gama de emoções pouco utilizadas nos jogos. Entretanto, o roteiro falha em entregar algo além do básico.

O maior problema do jogo é seu enredo bastante mal escrito. A história é curta, o que é esperado para um jogo indie do seu porte, porém a trama demora demais a se desenvolver. A história só começa a te fisgar lá pela metade do jogo. Até lá, o enredo é extremamente corriqueiro. Tudo que você fará é resolver puzzles sem apelo nenhum e possivelmente se perder devido a instruções vagas dos NPCs.

Se prepare para uma onda de diálogos sem graça

Se os eventos do jogo demoram a engatar, o mesmo não pode ser dito dos personagens. Eles nem chegam a engatar mesmo. Tirando um ou outro, os personagens desse jogo são completamente desprovidos de carisma ou uma personalidade mais desenvolvida. São bastante rasos e unidimensionais. A maioria só está ali para entregar diálogos secos e só.

Emoções em forma de poesia

Apesar do jogo apresentar grandes problemas em sua essência, quando o assunto é sua apresentação ele dá um show. O roteiro é apresentado na forma de um contínuo poema, dando uma sonoridade a tudo que é dito que quebra um pouco a monotonia da obra. As falas sem substâncias parecem mais relevantes e agradáveis com rimas inusitadas.

A parte artística também não deixa a desejar. A pixel art do jogo é incrível e consegue entregar uma quantidade de detalhes surpreendente. A música é suave e consegue imergir o jogador no clima cético e por vezes depressivo da obra. Se a escrita tivesse recebido a mesma atenção que toda a apresentação do jogo recebeu, é certo que estaríamos diante de uma obra-prima.

Quando o jogo decide ter personalidade, ele vai fundo

Conclusão

Infelizmente, porém, I Fell from Grace desaponta ao prometer uma boa história e entregar diálogos medíocres com um ritmo sofrível. É evidente que há uma narrativa interessante aqui que não soube ser explorada. A apresentação do jogo é boa, mas não consegue disfarçar as falhas da obra. Ainda assim, é uma opção válida para os órfãos do gênero de aventura que gostariam de experienciar um jogo que não tem medo de ser maduro e perturbador.

I Fell from Grace foi gentilmente cedido pela distribuidora para análise na Steam.

 

I Fell from Grace está atualmente em promoção na Steam e pode ser uma das melhores oportunidades para dar uma chance ao jogo.

Show Full Content
Previous Lady Gaga: Nova versão de Joanne pode ser prévia do Grammy
Next Lucas Lucco e Pabllo Vittar nos levam para seu “Paraíso”
Close

NEXT STORY

Close

Banda Rouge Anuncia Seu Retorno com o Chá do Rouge

12 de setembro de 2017
Close