Não é mais novidade para ninguém, Rouge está de volta a ativa. Com sua formação original, Luciana Andrade, Fantine Tho, Aline Wirley, Karin Hils e Li Martins (AKA Patricia), o grupo promete ser um dos grandes nomes da música brasileira no ano de 2018.

Para compreender a razão de ser a promessa da música nacional do próximo ano, precisamos voltar alguns anos. O grupo foi formado no programa de TV Popstar, apresentados no SBT e no Disney Channel em 2002. Ao todo, 30 mil jovens se inscreveram para fazer parte da girl band. Foram 8 etapas entre testes de canto, dança, postura, desenvoltura em frente às câmeras e comportamento, apenas cinco meninas foram escolhidas.

Trajetória do Rouge

No dia 7 de setembro, o programa chegava ao seu fim e o grupo finalmente formado. O nome foi escolhido de forma interna, segundo Fantine, elas tinham uma lista de nome, mas Rouge prevaleceu, por ter cinco letras, remetendo ao numero de integrantes. Karin complementa a colega dizendo que é “glamuroso e universal”, e Luciana completa “e é pop”.

Não demorou muito e as meninas lançaram o primeiro álbum, intitulado Rouge. O álbum foi lançado em 19 de agosto de 2002, e conta com músicas pop e dance, além de baladinhas românticas. Ao todo foram extraídos quatro singles, sendo eles Não Dá pra Resistir, a parceria com o grupo KLB, Nunca Deixe de SonharRagatanga e por ultimo, Beijo Molhado. Além disso ainda teve um single promocional, Popstar.O álbum foi um fenômeno. Inicialmente o disco teria uma tiragem apenas de 150 mil copias porém em menos de três meses o álbum já tinha vendido 700 mil copias, numa época em que a pirataria de CDs estava no auge. O grupo recebeu o certificado de platina tripla com o álbum, por vender mais de 750 mil copias. Ao todo foram vendidas mais de 2 milhões de copias.

O grupo estava consolidado, porém existia receios se o grupo conseguia seguir o mesmo sucesso, porém o segundo álbum do grupo, não deixou a desejar. Em maio de 2003 o disco C’est La Vie, é divulgado. O álbum continuava com a mesma sonoridade pop, porém agora com elementos de zouk e gêneros latinos, ainda traz elementos do pop rock. Além das mudanças sonoras, as meninas passaram por uma grande mudança de visual.

Do segundo álbum foram extraídos três singlesBrilha La LunaUm Anjo Veio Me Falar e Vem Cair na Zueira. Para a divulgação do disco, o grupo saiu com a Turnê C’est La Vie, originando o DVD A Festa dos Seus Sonhos, gravado no estádio Pacaembu, reunindo 30 mil pessoas para o registro. O dicos C’est La Vie vendeu mais de 100 mil copias, só na sua semana de estréia. O álbum é registrado com um disco de platina (mais de 750 mil copias vendidas). 

Bom, mas nem tudo foram flores para o grupo durante esse segundo álbum. Luciana Andrade anunciou que deixaria o Rouge, por não se adequar ao estilo musical do grupo. O álbum em versão espanhol acabou sendo engavetado (o álbum vazou completamente na internet em 2012). Logo depois chegou a informação a imprensa que de cada show feito as meninas receberiam apenas 500 reais.

Em meio a especulações da mídia, que o grupo ia acabar, o grupo lança o terceiro álbum Blá Blá Blá, em 2004. A saída de Luciana abalou a imagem do grupo, porém o grupo dizia o contrário, que na verdade fez com que elas ficassem mais unidas. O pop nesse novo álbum veio mais agressivo e maduro. O álbum teve mais músicas autorais, além de ser uma critica a grande mídia que faziam tantas especulações a respeito do grupo e valor da amizade das quatro. 

O álbum rendeu quatro singles: Blá Blá BláSem VocêVem Dançar e Pá Pá Lá Lá. Além dos quatros singles, uma música teve grande destaque Por Onde quer que eu Vá, exclusivamente dedicada aos fãs, que continuaram apoiando o grupo mesmo enquanto a mídia dizia que Rouge teria acabado. 

Embora ainda ativas no mercado musical, cada vez mais a mídia especulava sobre o termino ou se mais uma integrante abandonaria o grupo, principalmente após a mudança de produtora. Então numa tentativa de encerrar os boatos, em 2005 chega o novo álbum, Mil e Uma Noites. Inicialmente as meninas queriam um álbum só de inéditas, mas a gravadora queria lançar um greatest hits. Acabou que prevaleceu a vontade dos dois lados. O álbum é composto por seis faixas inéditas e oito grandes sucessos dos discos anteriores, sendo uma delas uma versão acústica inédita de Um Anjo Veio Me Falar.

O álbum gerou apenas dois singles, sendo o primeiro Vem Habib (Wala Wala), que foi considerado na época pela MTV Brasil, a música do verão. Já o segundo single O Amor é Ilusão, uma versão da música Torn da cantora Natalie Imbruglia. 

Fim do Sonho

Em dezembro de 2005, o contrato com a Sony Music chegou ao fim, não sendo renovado. Em janeiro de 2006 o grupo anuncia o fim do Rouge. Porém esse não era de forma alguma o fim do grupo.

No final de 2011, os fãs do extinto grupo, começou uma campanha para a gravação de um DVD para 2012, ano em que Rouge comemoraria 10 anos desde sua criação. As meninas até se pronunciaram dizendo que topariam, desde que fosse somente um show de despedida. Já Luciana disse que aceitaria voltar com o grupo, mas que não fosse para reviver o passado, com gravações mais maduras, sem dance pop e coreografias.

A campanha ficou só na vontade. O grupo não se encontrou e não teve DVD comemorativo. Em abril de 2013, o produtor musical Rick Bonadio, que trabalhou desde o inicio com o Rouge, inclusive sendo um dos jurados do programa que lançou as meninas, as convidam para gravar novas músicas, agora em um outro programa exibido pelo canal Multishow.

Sem Luciana, o Rouge lançou duas músicas inéditas, Tudo é Rouge, e logo depois Tudo Outra Vez. Infelizmente o retorno não foi tão positivo devido a uma serie de questões burocráticas envolvendo a marca Rouge e as músicas antigas do grupo. Em 2014 o grupo divulgou uma carta aberta explicando que apesar de conseguir eliminar alguns impendimentos, o projeto seria pausado, pois “Não queremos fazer um show qualquer para nosso público”.

Se juntas já causam, imagina juntas

Agosto de 2017, o grupo marcaria 15 anos desde sua criação. No país, diversos fãs comemoram e continuavam a pedir pela volta do grupo. No mês seguinte, setembro, a página da festa Chá da Alice, publicou uma foto rosa com a legenda “se juntas já causam, imagine juntas”. As especulações já eram fortes, quando a página publicou então a foto rosa novamente, agora com gliter, ficou certo que Rouge estava de volta.

No dia 13 de setembro foi anunciado um show em comemoração aos 15 anos do grupo, com a volta de Luciana, trazendo a formação original do Rouge. Agora que começa a ficar impressionante os dados dessa volta do grupo.

No dia 15 de setembro, os ingressos foram colocados a venda, esgotando completamente em em menos de 3 horas. 5 mil ingressos foram completamente vendidos para o show no Rio de Janeiro. A organização acabou liberando novos ingressos para um show extra, que teve seus ingressos esgotados rapidamente também. Os shows aconteceram respectivamente nos dias 13 e 14 de outubro.

Logo depois, a organização anunciou que levaria o mesmo show para São Paulo. Lá sete mil ingressos foram vendidos para o show do dia 25 de novembro, sendo rapidamente esgotados também. Feito que se repetiu no show extra que o grupo precisou fazer no dia 2 de dezembro.

Após 12 anos sem realizarem shows, a banda consegue esgotar ingressos numa época em que outros artistas nacionais encontram dificuldades para lotar shows, e até para fechar contratos, já que não conseguem vender ingressos.

E não é só isso não. As meninas voltaram para a antiga gravadora, assinando com a Sony Music, assim conseguiram os direitos dos álbuns. Todos os quatro álbuns do Rouge foram relançados para vendas digitais, além de serem disponibilizados nas plataformas de streamings.

Só no relançamento, as meninas conseguiram colocar os quatros discos no Top 10 de álbuns mais vendidos do iTunes e sete faixas no Top 100 músicas mais vendidas. No Spotify o perfil do grupo, conseguiu mais 15 mil seguidores em menos de uma hora. A playlist criada só com músicas do Rouge, chegou a aproximadamente 32 mil seguidores com menos de 24 horas de lançada. Ainda no Spotify, o desempenho do grupo superou o lançamento de Reputation, de Taylor Swift. O grupo ainda ganhou um canal certificado da VEVO, no youtube, onde também foi disponibilizado todos os áudios oficiais dos álbuns.

Já os álbuns físicos, não foram colocados a venda, e até agora não se tem nenhuma informação se serão comercializados. Porém na internet é possível achar os CDs e DVDs sendo vendidos a valores exorbitantes de 100 a quase 800 reais, e não só vendidos, mas esgotados também.

      

Promessa do Pop

Pensou que acabou? Mas não acabou ainda não. O grupo que antes tinha voltado só para show comemorativo, já anunciou que em 2018 vai sair com uma turnê nova pelo Brasil. Além disso, as menina já confirmaram que antes do fim do ano de 2017, elas vão lançar uma musica inédita chamada, por enquanto, de Bailando, que também contará com um clipe e bastante coreografia.

As meninas do Rouge deixam claro a todo tempo, que tudo isso se deve aos fãs, que eles pediram, fizeram campanhas e pressionaram e conseguiram que o grupo voltasse, que as músicas fossem disponibilizadas, os álbuns relançados digitalmente. Segundo elas “tudo dependem deles, então eles pediram por uma turnê pelo Brasil, isso vai acontecer, eles que tem a força e o poder“.

Essa volta do grupo com tanta força e com total apoio do publico, mostra algo que já era perceptível, a sede da volta do pop brasileiro. Com o sucesso de Anitta, Ludmila e IZA, o cenário musical nacional está cada vez mais pop. Se passávamos pela fase do sertanejo, depois o sertanejo universitário, seguido pelo feminejo, não resta mais duvida que é o pop nacional que vai dominar as paradas de 2018. Isso fica mais claro quando até os próprios artistas de gêneros como axé e sertanejo, começam cada vez mais bebericar da fonte do pop.

Show Full Content
Previous Vote no QUEER AS GEEK AWARDS 2017! A Premiação mais Viada da Internet!
Next Um até logo ou o fim da Banda Uó?
Close

NEXT STORY

Close

Crítica: I Fell from Grace mira em Twin Peaks, mas erra feio

26 de janeiro de 2018
Close