A gente sempre perde um tempo enorme procurando qual filme assistir na Netflix. Ganhadores do Oscar? Comédia Romântica? Documentário? É tanta opção que a gente fica perdido em um monte de categorias. Por isso, o Queer as Geek veio pra facilitar sua vida.

A gente sempre fala de representatividade, mas acaba que, quando vamos assistir um filme com temática LGBTQ, nós ficamos limitados aos mesmos filmes hollywoodianos que foram sucesso de crítica. Mas a Netflix oferece muita variedade de temáticas, gêneros e nacionalidades que tratam sobre o mundo LGBTQ. Na lista que organizamos pra essa semana tem ganhador de Oscar, comédia romântica e documentários tanto dos Estados Unidos quanto do Brasil, da Índia e de outros países.

A ordem dos filmes foi organizada de acordo com as notas dadas pelos críticos de cinema em sites especializados. Então, segura o balde de pipoca e pega o lencinho pra secar as lágrimas de vez em quando.

 

  1. Mala Mala (Mala Mala, Porto Rico, Antonio Santini e Dan Sickles, 2014)

 

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=0rftiozFCa8]

Lembram da April Carrión da sexta temporada de RuPaul’s Drag Race? Ela está lá linda no documentário porto-riquenho Mala Mala. A palavra “mala” pode ser traduzida do espanhol para “ruim”, mas, na comunidade queer e drag de Porto Rico, mala significa “feroz”. Drags, gays e homens e mulheres trans estão nesse filme que ganhou prêmios em vários festivais de cinema LGBTQ.

  1. Direito de amar (A Single Man, Estados Unidos, Tom Ford, 2009)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=gQf5E0-rgbU]

Esse filme que marca a estreia de Tom Ford como diretor rendeu a Colin Firth sua primeira indicação ao Oscar. O filme começa com a morte de Jim, marido de George há 16 anos. George, interpretado por Colin Firth, precisa lidar com esse trauma enquanto se envolve com garotos de programa e com uma ex-namorada interpretada por Julianne Moore. O filme é baseado no livro A Single Man do escritor gay Christopher Isherwood.

  1. Margarita com canudinho (Margarita with a straw, Índia, Shonali Bose, 2014)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=HcUCv6BNUEU]

Esse é, com certeza, o filme que mais me deixou curioso com a sinopse. Laila é uma jovem indiana que tem paralisia cerebral; quando ela vai estudar em Nova York, ela se apaixona por uma jovem ativista. Margarita com canudinho fala sobre deficiência, descoberta, independência e sexualidade. O filme foi inspirado na história da indiana Malini Chib, ativista dos direitos das pessoas com deficiência.

  1. Cuatro Lunas (Cuatro Lunas, Mexico, Sergio Tolvar Velarde, 2014)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=hcdfXVbGcXc]

Esse filme mexicano escrito e dirigido por Sergio Tolvar Velarde narra quatro histórias que falam sobre amor e aceitação: a descoberta e a vivência da sexualidade homens homossexuais em diversas fases da vida, da infância à terceira idade. Segundo o diretor, o filme trata de um tema que ainda é tabu no México e, por isso, a importância do seu projeto. Homossexualidade no México também é tema da série Sense 8 produzida pela Netflix.

  1. A morte e vida de Marsha P. Johnson (The Death and Life of Marsha P. Johnson, Estados Unidos, David France, 2017)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=pADsuuPd79E]

Marsha P. Johnson foi uma ativista trans que, desde os ataques a Stonewall Inn., luta pelos direitos da população LGBT. Marsha foi encontrada morta em 1992 e a perícia afirmou que foi suicídio; família e amigos negam a versão e dizem ter sido um assassinato. A controversa morte de Marsha e sua vida política são analisadas nesse documentário original da Netflix que recebeu nota 95 no Rotten Tomatoes.

  1. Strike a pose (Strike a pose, Bélgica e Alemanha, Ester Gould e Reijer Zwaan, 2016)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=7Hqh7lwaNKw]

“Em 1990, sete jovens dançarinos foram escolhidos pela Madonna para sua turnê mais controversa de todos os tempos”. É assim que começa o trailer de Strike a pose, que conta a história de 7 dançarinos – 6 gays e 1 hétero – que acompanharam Madonna na sua turnê Blond Ambition Tour (que já rendeu outro documentário: Na cama com Madonna). A turnê trazia temas como sexualidade e religião, o que não agradou ao Papa João Paulo II que clamou por um boicote. Mais ou menos o que o MBL faz hoje em dia com nudez em museus. Além de muita dança, o filme trata sobre drogas, álcool e AIDS.

  1. Hoje eu quero voltar sozinho (Brasil, Daniel Ribeiro, 2014)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=lpHKXyko358]

Um filme brasileiro tá no top 5 da lista! Hoje eu quero voltar sozinho é um longa-metragem desenvolvido a partir de um curta de 2010, com o mesmo elenco e também dirigido pelo Daniel Ribeiro. Com uma trilha sonora fofa que inclui de Cícero a David Bowie, esse filme é protagonizado por Leonardo, um adolescente cego que precisa lidar com as dificuldades de uma amizade, com a descoberta da sua sexualidade e sua paixão por Gabriel.

  1. Moonlight: Sob a Luz do Luar (Moonlight, Estados Unidos, Barry Jenkins, 2016)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=I9Si4dQw9-E]

Você quer Oscar, @? Toma Oscar. Moonlight ganhou o Oscar de Melhor Filme, Ator Coadjuvante e Roteiro Adaptado de 2017. Esse filme do Barry Jenkins (que também dirigiu um episódio de Dear White People) traz uma história diferente do que estamos acostumados a ver nos filmes com temática gay. Moonlight fala sobre o romance entre dois meninos negros da periferia de Liberty City, em Miami. Fugindo de situações óbvias, o filme discute sobre o racismo, o crime e as drogas. E, no meio de tudo isso, um amor entre dois amigos.

  1. Tudo sobre minha mãe (Todo sobre mi madre, Espanha, Pedro Almodóvar, 1999)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=a4WY3xqDv3c]

O Almodóvar é conhecido por trazer para os seus filmes discussões sobre família, gênero e sexualidade, como fez em Má Educação (2004) e A Pele que Habito (2011). Em Tudo sobre minha mãe (uma brincadeira com o nome do filme da Bette Davis, All About Eve), Almodóvar lida com temas como a AIDS e a transexualidade num filme emocionante protagonizado por uma mãe. Entre outros prêmios, Tudo sobre minha mãe ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

  1. Paris is burning (Paris is burning, Estados Unidos, Jennie Livingston, 1990)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=807dp22ZUz8]

Em primeiríssimo lugar, esse documentário fala sobre a cultura drag em clubes underground de Nova York no final dos anos 1980. Um filme pras gay fã de RuPaul’s Drag Race. E os protagonistas desse filme dirigido por Jennie Livingston são negros, latinos, trans, viados. O filme trata, entre outras coisas, sobre como essas pessoas reais enfrentam a pobreza, o racismo, o HIV e a homofobia. O filme tem nota máxima de vários críticos que o consideram como um símbolo do fim da Era de Ouro de Nova York.

E você, já assistiu um desses filmes? Acha que outros filmes da Netflix deveriam estar na lista? Já tô ansioso pela sessão de cinema.

Show Full Content
Previous Star Wars – Os Últimos Jedi ganha novo trailer revelador!
Next Anavitória divulga EP especial em comemoração ao dia das crianças
Close

NEXT STORY

Close

Quando descobri que era menina: Empoderamento feminino para garotas

5 de setembro de 2019
Close