A gente sempre perde um tempo enorme procurando qual filme assistir na Netflix. Ganhadores do Oscar? Comédia Romântica? Documentário? É tanta opção que a gente fica perdido em um monte de categorias. Por isso, o Queer as Geek veio pra facilitar sua vida.

A gente sempre fala de representatividade, mas acaba que, quando vamos assistir um filme com temática LGBTQ, nós ficamos limitados aos mesmos filmes hollywoodianos que foram sucesso de crítica. Mas a Netflix oferece muita variedade de temáticas, gêneros e nacionalidades que tratam sobre o mundo LGBTQ. Na lista que organizamos pra essa semana tem ganhador de Oscar, comédia romântica e documentários tanto dos Estados Unidos quanto do Brasil, da Índia e de outros países.

A ordem dos filmes foi organizada de acordo com as notas dadas pelos críticos de cinema em sites especializados. Então, segura o balde de pipoca e pega o lencinho pra secar as lágrimas de vez em quando.

 

  1. Mala Mala (Mala Mala, Porto Rico, Antonio Santini e Dan Sickles, 2014)

 

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=0rftiozFCa8]

Lembram da April Carrión da sexta temporada de RuPaul’s Drag Race? Ela está lá linda no documentário porto-riquenho Mala Mala. A palavra “mala” pode ser traduzida do espanhol para “ruim”, mas, na comunidade queer e drag de Porto Rico, mala significa “feroz”. Drags, gays e homens e mulheres trans estão nesse filme que ganhou prêmios em vários festivais de cinema LGBTQ.

  1. Direito de amar (A Single Man, Estados Unidos, Tom Ford, 2009)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=gQf5E0-rgbU]

Esse filme que marca a estreia de Tom Ford como diretor rendeu a Colin Firth sua primeira indicação ao Oscar. O filme começa com a morte de Jim, marido de George há 16 anos. George, interpretado por Colin Firth, precisa lidar com esse trauma enquanto se envolve com garotos de programa e com uma ex-namorada interpretada por Julianne Moore. O filme é baseado no livro A Single Man do escritor gay Christopher Isherwood.

  1. Margarita com canudinho (Margarita with a straw, Índia, Shonali Bose, 2014)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=HcUCv6BNUEU]

Esse é, com certeza, o filme que mais me deixou curioso com a sinopse. Laila é uma jovem indiana que tem paralisia cerebral; quando ela vai estudar em Nova York, ela se apaixona por uma jovem ativista. Margarita com canudinho fala sobre deficiência, descoberta, independência e sexualidade. O filme foi inspirado na história da indiana Malini Chib, ativista dos direitos das pessoas com deficiência.

  1. Cuatro Lunas (Cuatro Lunas, Mexico, Sergio Tolvar Velarde, 2014)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=hcdfXVbGcXc]

Esse filme mexicano escrito e dirigido por Sergio Tolvar Velarde narra quatro histórias que falam sobre amor e aceitação: a descoberta e a vivência da sexualidade homens homossexuais em diversas fases da vida, da infância à terceira idade. Segundo o diretor, o filme trata de um tema que ainda é tabu no México e, por isso, a importância do seu projeto. Homossexualidade no México também é tema da série Sense 8 produzida pela Netflix.

  1. A morte e vida de Marsha P. Johnson (The Death and Life of Marsha P. Johnson, Estados Unidos, David France, 2017)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=pADsuuPd79E]

Marsha P. Johnson foi uma ativista trans que, desde os ataques a Stonewall Inn., luta pelos direitos da população LGBT. Marsha foi encontrada morta em 1992 e a perícia afirmou que foi suicídio; família e amigos negam a versão e dizem ter sido um assassinato. A controversa morte de Marsha e sua vida política são analisadas nesse documentário original da Netflix que recebeu nota 95 no Rotten Tomatoes.

  1. Strike a pose (Strike a pose, Bélgica e Alemanha, Ester Gould e Reijer Zwaan, 2016)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=7Hqh7lwaNKw]

“Em 1990, sete jovens dançarinos foram escolhidos pela Madonna para sua turnê mais controversa de todos os tempos”. É assim que começa o trailer de Strike a pose, que conta a história de 7 dançarinos – 6 gays e 1 hétero – que acompanharam Madonna na sua turnê Blond Ambition Tour (que já rendeu outro documentário: Na cama com Madonna). A turnê trazia temas como sexualidade e religião, o que não agradou ao Papa João Paulo II que clamou por um boicote. Mais ou menos o que o MBL faz hoje em dia com nudez em museus. Além de muita dança, o filme trata sobre drogas, álcool e AIDS.

  1. Hoje eu quero voltar sozinho (Brasil, Daniel Ribeiro, 2014)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=lpHKXyko358]

Um filme brasileiro tá no top 5 da lista! Hoje eu quero voltar sozinho é um longa-metragem desenvolvido a partir de um curta de 2010, com o mesmo elenco e também dirigido pelo Daniel Ribeiro. Com uma trilha sonora fofa que inclui de Cícero a David Bowie, esse filme é protagonizado por Leonardo, um adolescente cego que precisa lidar com as dificuldades de uma amizade, com a descoberta da sua sexualidade e sua paixão por Gabriel.

  1. Moonlight: Sob a Luz do Luar (Moonlight, Estados Unidos, Barry Jenkins, 2016)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=I9Si4dQw9-E]

Você quer Oscar, @? Toma Oscar. Moonlight ganhou o Oscar de Melhor Filme, Ator Coadjuvante e Roteiro Adaptado de 2017. Esse filme do Barry Jenkins (que também dirigiu um episódio de Dear White People) traz uma história diferente do que estamos acostumados a ver nos filmes com temática gay. Moonlight fala sobre o romance entre dois meninos negros da periferia de Liberty City, em Miami. Fugindo de situações óbvias, o filme discute sobre o racismo, o crime e as drogas. E, no meio de tudo isso, um amor entre dois amigos.

  1. Tudo sobre minha mãe (Todo sobre mi madre, Espanha, Pedro Almodóvar, 1999)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=a4WY3xqDv3c]

O Almodóvar é conhecido por trazer para os seus filmes discussões sobre família, gênero e sexualidade, como fez em Má Educação (2004) e A Pele que Habito (2011). Em Tudo sobre minha mãe (uma brincadeira com o nome do filme da Bette Davis, All About Eve), Almodóvar lida com temas como a AIDS e a transexualidade num filme emocionante protagonizado por uma mãe. Entre outros prêmios, Tudo sobre minha mãe ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

  1. Paris is burning (Paris is burning, Estados Unidos, Jennie Livingston, 1990)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=807dp22ZUz8]

Em primeiríssimo lugar, esse documentário fala sobre a cultura drag em clubes underground de Nova York no final dos anos 1980. Um filme pras gay fã de RuPaul’s Drag Race. E os protagonistas desse filme dirigido por Jennie Livingston são negros, latinos, trans, viados. O filme trata, entre outras coisas, sobre como essas pessoas reais enfrentam a pobreza, o racismo, o HIV e a homofobia. O filme tem nota máxima de vários críticos que o consideram como um símbolo do fim da Era de Ouro de Nova York.

E você, já assistiu um desses filmes? Acha que outros filmes da Netflix deveriam estar na lista? Já tô ansioso pela sessão de cinema.

Show Full Content
Previous Star Wars – Os Últimos Jedi ganha novo trailer revelador!
Next Anavitória divulga EP especial em comemoração ao dia das crianças
Close

NEXT STORY

Close

Ikenfell ganha primeiro trailer com música por dupla de Steven Universe

17 de fevereiro de 2018
Close