Você pode até não conhecer SteamWorld Dig, mas isso não é desculpa para não jogar sua adorável sequência. Quando SteamWorld Dig : A Fistful of Dirt lançou em 2013, só sua temática de um faroeste robótico já pegou todos de surpresa. Mas o jogo também se provou muito bem produzido e super viciante. A sua continuação, chamada simplesmente de SteamWorld Dig 2, cava ainda mais  fundo nas mecânicas já consagradas da série, trazendo também uma história mais robusta, personagens bem humorados e um mundo mais coeso.

Bem vindo a El Machino, centro do faroeste robótico de SteamWorld Dig 2

SteamWorld Dig 2 é uma sequência direta de A Fistful of Dirt e, como tal, sua história começa logo depois dos eventos do primeiro jogo. Rusty, o protagonista do primeiro jogo, desapareceu e cabe a Dorothy descobrir o que aconteceu com seu amigo. A premissa é bem simples, mas a história vai se complicando aos poucos de maneiras surpreendentes. Tudo neste jogo é assim na verdade. Começa bem simples e vai evoluindo em algo incrível.

SteamWorld Dig foi divertido e viciante por depender fortemente de suas mecânicas base. Tudo que você precisava fazer era cavar para achar minerais, vendê-los para conseguir dinheiro e comprar equipamento para se tornar mais forte. Estas mecânicas também estão presentes aqui, mas o jogo ganha diversidade apostando em uma nova árvore de habilidades, equipamentos que expandem sua mobilidade e uma maior diversidade de lugares para explorar.

Logo no comecinho do jogo, Dorothy ganha acesso a uma árvore de habilidades completamente customizável. Dorothy encontrará engrenagens douradas que podem ser usadas para conseguir novas habilidades explorando cavernas dentro das minas. Estas cavernas funcionam de forma bastante similar aos shrines de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, oferecendo sessões contidas de desafios que usam de uma mesma mecânica. As habilidades variam e alteram várias coisas, desde aumentar o raio da sua lanterna a revelar segredos escondidos nas fases. Não importa se você gosta mais de farmar dinheiro ou se o seu lance é só explorar novas áreas, tem alguma habilidade que vai te ajudar nisso. Os pontos gastos em habilidades podem ser reembolsados a qualquer momento sem punição, o que incentiva experimentação. Novas habilidades podem ser liberadas melhorando suas ferramentas ou encontrando os artefatos muito bem escondidos pelo mundo do jogo.

Uma das habilidades secretas é o Núcleo da Diversidade, que faz com que os inimigos possam dropar Orbes Arco-Íris. Bem viado mesmo!

Dorothy também tem acesso a novos equipamentos que a tornam bem mais divertida de controlar que Rusty. Como em todo bom metroidvania, quando o jogo começa nossa heroína não consegue fazer muita coisa. Durante o jogo, somos introduzidos a novos itens que abrem diversos caminhos. Os itens são introduzidos gradualmente, o que confere ao jogo uma curva de aprendizado bem suave. Entre os novos itens, temos por exemplo um gancho e uma jetpack, que tornam a movimentação vertical bem mais fácil. Estes itens mudam completamente como você joga o jogo e fica muito mais agradável  revisitar lugares antigos.

Dorothy é a maior Homem-Aranha que você respeita!

Uma das principais novidades é o cenário. Se no primeiro jogo tínhamos apenas uma mina central que explorávamos quase que exclusivamente para baixo, em SteamWorld Dig 2 temos diversas áreas construídas a mão para explorar: como estonteantes florestas de fungos, ruínas de uma seita apocalíptica e até uma realidade virtual.

Construídas a mão é um detalhe importante. O mapa do jogo anterior era aleatório, gerado sempre que se começava uma nova campanha. Isso garantia um fator replay imenso ao título, mas as áreas nunca eram tão bem construídas. O novo jogo abandona completamente a geração procedural e tudo foi pensado com muita atenção. Dá pra ver a mudança a cada área nova que o jogador alcança, com um grupo de mecânicas únicas que vêm e vão. A atenção aos detalhes é imensa e as áreas parecem muito mais orgânicas, com desafios muito bem pensados.

Lindas florestas submersas dão novos ares a aventura

Falando em desafios, completar todas as cavernas do jogo será um desafio e tanto. As cavernas estão espalhadas por todas as áreas do jogo e dentro de cada delas há um desafio principal, que pode ser bem simples só para ensinar as mecânicas ou super desafiadores, combinando as mecânicas do jogo ao limite. Completar estes desafios principais por si só não é uma tarefa simples, mas cada caverna esconde segredos que vão fazer você pensar bastante se você quiser completar 100% a aventura.

Completar a aventura 100% libera novos desafios e mais coisa para fazer em SteamWorld Dig 2. O post-game foi um jeito que a ImageForm encontrou para estender a vida útil do título e recompensar os jogadores que curtem uma boa exploração. Entretanto desafios extras não são incentivo para jogar o jogo de novo. Quem curtia jogar várias campanhas para explorar os novos mapas no primeiro jogo ficará um pouco decepcionado aqui.

Segredos perturbadores se escondem sob El Machino. O que será que Rusty tem a ver com isto tudo?

SteamWorld Dig 2 consegue dosar muito bem simplicidade e desafio. Trazendo praticamente tudo que foi um sucesso no primeiro jogo e introduzindo muitas novidades, o jogo faz um ótimo trabalho em divertir o jogador o tempo todo. Com personagens bem humorados e um final surpreendente, SteamWorld Dig 2 é o melhor jogo no arsenal da ImageForm.

SteamWorld Dig 2 foi cedido pela ImageForm para análise
Show Full Content
Previous Playstation estará em peso na #BGS10! Veja lista de jogos
Next Miley Cyrus está se sentindo “mais nova” com seu novo álbum
Close

NEXT STORY

Close

Fragments of Him equilibra lições sobre o luto e a bissexualidade

6 de outubro de 2017
Close