Na última semana nós divulgamos aqui no QAG o lançamento do clipe de Corpo Sensual de Pabllo Vittar que, diga-se de passagem, está maravilhoso e muito bem elaborado e tanto a drag quanto Mateus Carrilho arrasaram no vídeo-clipe.  Porém, o clipe que teve uma parceria com o Ministério da Saúde para promover e incentivar o sexo seguro através do uso de preservativos acabou recebendo muitos comentários controversos.

Em muitas mídias divulgou-se que algumas pessoas estavam questionando nos comentários do clipe “Por que camisinha se Pabllo não engravida?”, isto, porque Pabllo seria uma drag queen e por tal motivo não teria como engravidar.

A primeira vista, este tipo de comentário pode parecer assustador porque está claro para nós que a camisinha não serve somente como método contraceptivo, mas também como preventivo da aquisição de doenças e IST’S (infecções sexualmente transmissíveis). Todavia, não é todo mundo que tem a consciência disso e ter este questionamento sendo feito é muito bom para abrir espaço para a discussão.

Para elucidar ainda mais a importância do uso de preservativos, assim como o nosso redator Lucas Reis já disse aqui, o sexo desprotegido poderia, por exemplo, levar uma pessoa a adquirir uma infecção por HIV e de acordo com as estatísticas do UNAIDS Brasil (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS) o número de casos de jovens entre 15 a 19 anos com HIV praticamente triplicou nos últimos 10 anos.

Outrossim, estamos vivendo no Brasil uma epidemia de Sífilis que foi inclusive confirmada no ano passado pelo Ministro da Saúde Ricardo Barros – que lançou uma campanha nacional para combate a doença.

Dessa forma, é evidente que precisamos com urgência tomar providências e divulgar o quanto pudermos mais informação sobre o uso de preservativos – pois somente assim poderemos reverter tais números.

Logo, ao associarmos os comentários do clipe com a realidade que vivemos hoje é possível dizermos que o Ministério da Saúde acertou (ainda que sem querer) em sua campanha dentro do clipe porque além de quebrar muito tabu e atingir diretamente o público jovem, ainda levantou um questionamento que induz as pessoas a buscarem pela informação correta.

Não basta saber que precisa usar camisinha, TEM que usar também, porque muita gente tem a informação, mas infelizmente acaba deixando de usar por “n” motivos, seja por confiar no parceiro ou por ter se deixado levar pelo calor do momento.

É muito importante ressaltar que o preservativo deve ser utilizado SEMPRE em todas as ocasiões e se em algum momento tentarem lhe convencer do contrário, pare por ali mesmo – o risco não vale à pena.

Digo isto, porque infelizmente até mesmo eu que sou estudante na área da saúde e já estava careca de saber sobre o risco que corria acabei cedendo por algumas vezes ao sexo desprotegido e por meses depois tive medo de alguma coisa ter acontecido (felizmente, fiz os exames e está tudo bem).

A marca de preservativos “Olla” recentemente lançou uma campanha de marketing social  na Avenida Paulista distribuindo gratuitamente camisinhas masculinas onde foi feito um apelo de que as mulheres também podem e devem buscar ter um preservativo guardado consigo, pois tal ato não é nada vergonhoso, mostra que você é uma pessoa que se preocupa com a sua própria saúde – afinal, seu corpo e suas regras.

Finalizando, acredito que agora seja a melhor hora para nos conscientizarmos que o preservativo serve para todo mundo que mantenha relações sexuais seja mulher, homem, trans, cis, hétero, gay, bi ou o que for – pois como já dissemos, não se trata somente de um método contraceptivo, trata-se da sua saúde e de todos.

Show Full Content
Previous Crítica do Filme Reality High (Netflix)
Next Nintendo apresentará novidades nesta quarta no “Nintendo Direct”
Close

NEXT STORY

Close

Crítica – Flinthook: esse rogue-like acrobático vai fisgar você!

14 de março de 2018
Close